Olho no olho



Por teimosia, insistimos principalmente nas coisas que nos contrariam, mesmo sendo um dia calmo como o quartzo rosa que mantinha seu lugar sem presa na estante; e mesmo sendo o amor uma pedra rara difícil de lapidar com o tempo... cheiro.

As ruas continuavam apresadas. Cruzamentos de olhares e vontade de querer... querer o prazer da carne sem segredos, só riso. Nosso toque, arrepio. Vontade de rolar na grama e deixar nos envolver por pensamentos ainda verdes, mesmo depois da chuva onde as cores se tornam mais vivas e nosso olhar atrevido despe as intenções de beijos... coxas e seios.

Sempre nos mantemos trancados na vergonha do sentir. Passado a euforia da vermelhidão no rosto, fogo... em dois pontos o abraço aquecia palavras sem medidas e que calçavam perfeitamente o caminhar das dúvidas.

As sombras que em momentos eram uma, desenham na imensidão que transpassava os lençóis e pousavam no café da manhã. Sensações a varejo que eram despertadas com todo prazer, e nas impressões das mãos, o leve saber acontecer.

Por teimosia, apenas por teimosia observava a largura do sorriso e que mesmo com esse barco não conseguiria enxergar as margens que engoliam sua alma... que devagar, consumia nossos poros e suor.

Horas continuavam perdidas e descompassadas ao por do sol que compunha uma escada ao horizonte. A noite beijava devagar, línguas e corpo, todos os incômodos da casa.

- Silencio moreno.




Texto e ilustração: Harley Meireles


 

5 comentários:

  1. Não fosse a vergonha do sentir... Abração, Exu.

    ResponderExcluir
  2. esse final... a noite sempre beija devagar, ou porque ri, ou por que soluça.

    ResponderExcluir
  3. A Academia Machadense de Letras em breve irá lançar seu primeiro informativo cultural. Gostaríamos que todos os pudessem sugerirum nome para esta publicação através do e-mail ( academiamachadensedeletras@gmail.com ), ou (machadocultural@gmail.com ).

    Obrigado a todos.

    ResponderExcluir
  4. Adorei o nome do blog usando Arame farpado, e a idéia do beijo. Muito original. Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. “IX CONCURSO PLÍNIO MOTTA DE POESIAS”

    A Academia Machadense de Letras (Machado-MG / Brasil) comunica a realização em novembro de 2013 de seu IX Concurso de Poesias. As inscrições encerram-se no dia 14 de outubro (2013). Para receber gratuitamente o regulamento em arquivo PDF, entre outras informações, favor entrar em contato através do e-mail: machadocultural@gmail.com

    Obs (PS): O tema é livre e aberto a todos de Língua Portuguesa e Espanhola e a taxa de inscrição é de R$5,00 pode ser enviada dentro do envelope.

    Favor verificar o recebimento do regulamento em pdf e jpeg.

    OBS: ESTAREI AQUI PARA TIRAR SUAS DÚVIDAS.

    ResponderExcluir